A Cultura do Afeto é um estilo de vida!

Ao longo dos últimos 10 anos eu conversei com mais de 10 mil pessoas, sempre com o intuito de buscar descobrir porque algumas pessoas estavam mais satisfeitas com suas vidas pessoais e profissionais e outras nem tanto.

Na verdade sou uma curiosa desde pequena, sempre me interessei pela mente humana, querendo entender o porquê as pessoas se comportam como se comportam.

Foi então que observei que existem determinados comportamentos que colocados em prática de maneira interdependente fazem com que os ambientes se tornem mais agradáveis e por consequência as pessoas se sintam mais felizes e realizadas.

Durante as minhas conversas e observações, dentro e fora das empresas, muitas palavras eram ditas e eu fui aos poucos desenhando um padrão, até que cheguei numa seguinte afirmação: TODAS AS PESSOAS ANSEIAM POR AFETO.

Mas AFETO?! Como assim AFETO?! Parece tão subjetivo né?! Mas daí eu resolvi traduzir, o que era afeto para aquelas pessoas? O que elas estavam querendo dizer? O que de fato precisavam? O que elas verdadeiramente anseiam?

Finalmente cheguei a 10 comportamentos que chamo de pilares e que fazem parte de uma Cultura, pois para que nos sintamos felizes e realizados esta “cultura” deve fazer parte dos nossos lares, da nossa comunidade e das nossas organizações.

Seguem então os 10 comportamentos:

Design sem nome

E afinal o que é a Cultura do Afeto? Uma metodologia? Uma teoria? Uma filosofia? Ela é um estilo de vida, um estilo de vida pessoal e profissional.

Então, eu acredito que se adotarmos a Cultura do Afeto, tanto em nossas vidas pessoais quanto dentro das nossas empresas, teremos ambientes mais equilibrados com pessoas mais felizes e realizadas.

Quer saber mais sobre a Cultura do Afeto? Vou adorar compartilhar ela contigo!